sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O mico das compras coletivas

Sempre tive um pé atrás com essa moda das compras coletivas. Não sei se é excesso de zelo, mas todas as propostas que recebi para entrar na onda me pareceram suspeitas. Agora, vejo que não estava totalmente errado: o Procon-SP autuou as três principais empresas do segmento no Brasil (Groupon, Peixe Urbano e Click On) por “pequenos detalhes”, como não dar garantia dos produtos vendidos e negar-se a devolver dinheiro pago antecipadamente pelos clientes. As multas podem chegar a R$ 6 milhões para cada empresa – claro, como sempre no Brasil, há recursos e protelações, e o mais provável é que dê em nada.
O episódio, de qualquer maneira, deve servir como alerta. O Procon notificou 11 estabelecimentos que utilizam os sites de compras coletivas e não entregam os produtos. Já houve algumas denúncias, mas pelo visto não se deu muita importância. Recentemente, o IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) acusou as quatro grandes do setor (a quarta chama-se Groupalia) de “práticas ilegais”. Na maioria dos casos, os sites não se responsabilizam pelos negócios que geram: você compra de um terceiro, e o site age como se nada tivesse a ver com isso. Só que jamais deixa de receber a sua comissão. Naturalmente, uma empresa séria devolveria esse dinheiro caso o negócio não se concretizasse. Mas não estamos falando de empresas sérias…
Aliás, essa Groupon é um caso ainda a ser explicado. Recordista de reclamações no Procon, a empresa é exaltada em sites e blogs como exemplo de inovação e criatividade – como se compra coletiva fosse algo novo (para mim, é apenas uma versão digital do velho consórcio). Há cerca de um mês, o IDG Now fez um excelente levantamento sobre as atividades da empresa, mostrando a prática de inflar preços dos produtos no site para enganar os clientes, que são atraídos por descontos mais altos (outra prática mais velha do que a máquininha de calcular). Com uma poderosa rede de influência nas mídias sociais, a empresa – que é americana – abriu seu capital na Nasdaq no início deste mês e todos disseram que foi um sucesso. Três dias depois, o valor das ações tinha despencado, deixando frustrados os investidores.
É o caso de se dizer: bem feito. De Orlando Barroso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário